Desemprego, pobreza e dívidas! Resultados da crise social criar PDF versão para impressão
03-Fev-2009
Daniel BernardinoOs trabalhadores portugueses e os desempregados vislumbram no horizonte um futuro com muitas dificuldades. Vivem com medo! As notícias de mais uma empresa que encerra, mais um despedimento que se realiza, faz com que a nossa sociedade esteja assustada, economicamente mais pobre sem esperança de que melhores dias podem chegar em breve.

Estas fragilidades da nossa sociedade destroem-na, e com maiores dificuldades a mesma se reconstrói. São famílias em sofrimento que anseiam não passar pela pobreza que espreita a cada dia. Estas pessoas que passam para a longa lista de desempregados que já temos(7,9%) devem estar nas prioridades do governo. Não pode aumentar mais a quantidade de pobres em Portugal (2 milhões) é urgente tomar medidas profundas.

O crescente aumento do desemprego leva a que as pessoas entrem em desespero e podem aparecer os resultados que não queremos, aumento de suicídios, da criminalidade e consequentemente reduz-se a paz social.

O Governo tem de pensar nestas pessoas e não em TGV ou mais auto-estradas que não nos trazem emprego e não resolvem o problema das famílias portuguesas. O maior investimento que se pode e deve fazer é nas pessoas, elas é que são a riqueza de um país, de uma sociedade em decadência como a que vivemos.

Dentro das empresas o trabalho que se realiza na defesa do emprego deve ser tomado em conta como uma prioridade, não podemos deixar que as empresas deixem de ter a sua responsabilidade social e se aproveitem do actual momento. O Governo tem o dever de ouvir os representantes dos trabalhadores, que se encontram nas empresas. Quais as suas ideias, as suas propostas, para ultrapassar da melhor forma as dificuldades.

Daniel Bernardino

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.