Duzentos e vinte mil volts por cima de salas de aula criar PDF versão para impressão
24-Mar-2009
Francisco Louçã e Alda Macedo. Foto de Paulete MatosO deputado Francisco Louçã, do Bloco de Esquerda, visitou uma escola com jardim-de-infância e ensino básico, com 11 salas, que está a ser construída a cerca de 20 metros de distância de uma linha de alta tensão. Esta linha passa também por cima de uma nova urbanização, na Urbanização do Conventinho, em Loures. O Bloco apresenta esta quarta-feira um projecto de lei que garante o princípio da precaução face aos campos electromagnéticos produzidos pelas linhas de alta tensão.

Para Francisco Louçã, "O Bloco de Esquerda pretende obrigar o governo e a maioria a reconhecer que a prudência e o respeito pelas crianças, pelos equipamentos educativos, pelos centros de saúde ou outras instalações desse tipo devem estar afastados das linhas de alta tensão ou, se tiverem de passar por essa zona, enterrá-las a uma distância de segurança, como se faz noutros países".

Na exposição de motivos do seu projecto, o Bloco explica que o princípio da precaução, aprovado em 1992 na Cimeira do Rio, é definido como: "garantia contra os riscos potenciais que, de acordo com o estado actual do conhecimento, não podem ser ainda identificados. Este princípio afirma que na ausência de certeza científica formal, a existência de risco ou dano sério ou irreversível requer a implementação de medidas que possam prever esse dano".

O projecto de lei do Bloco pretende definir uma política para a criação das novas linhas, com corredores de segurança amplos em relação a todo o edificado e com prioridade para os equipamentos sociais (escolas e centros de saúde), e a reconversão das linhas que já existem, através do seu enterramento, "para garantir que a intensidade do campo electromagnético não se exerce sobre as pessoas".

Louçã desafiou a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, a dizer, quando for inaugurar a escola de Loures, no próximo ano lectivo, "que quer que as crianças venham para debaixo de 220 mil volts de tensão, a passar aqui todos os dias, a todas as horas. É inaceitável".

E citou a existência de "muitos estudos científicos", nomeadamente da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Cancro, da Organização Mundial de Saúde, segundo os quais "a proximidade em relação a campos electromagnéticos tão fortes aumenta o risco de doenças cancerígenas, em particular de leucemia".

"Perante as evidências de que há razões de preocupação, o princípio de prudência implicou que noutros países seja proibidas a construção de uma escola ao lado de um poste de alta tensão. É assim na Suécia, Irlanda, Alemanha, e por isso enterram-se as linhas para que haja uma filtragem dos campos electromagnéticos e não haja incidência sobre as pessoas. Todos os outros países têm esta preocupação, em Portugal é o ‘salve-se quem puder'", acusou Louçã.

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Últimas Internacional
Últimas Sociedade
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Boletim Económico
Participe
Dois anos de Esquerda.Net
Deveria haver um bom motor de busca
[Continuamos a publicar os depoimentos dos leitores]
Visito o Esquerda.net 1 a 2 vezes por semana. Leio sobretudo notícias pouco ou nada cobertas pela imprensa corrente, artigos de opinião de alguns nomes que me interessam mais, às vezes os Sons da terra e podcasts sobre eventos do BE ou entrevistas, dependendo do tema.
A minha proposta é para todos os sites do BE: deveria haver um bom motor de busca (o do próprio software é muito débil e induz em erro) que permita pesquisas simples ou mais avançadas (booleanas, palavras adjacentes, por exemplo). O Copernic é um bom motor, freeware e creio que poderá ser usado como add-on neste software. É preciso testar e ver o resultado. À medida que crescer o fundo de notícias, precisamos cada vez mais de explorar a totalidade, retrospectivamente e, idealmente, independentemente do tipo de ficheiro que as suporte (texto, imagem, som). Seria um bom recurso de formação e difusão.

Paula Sequeiros, BE Porto



Educação em Debate
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.