Secretário de Estado trata professores por “coitadinhos” criar PDF versão para impressão
25-Mar-2009
Jorge Pedreira esteve visivelmente irritado durante a audição, tal como Valter LemosA audição no parlamento era com a Ministra da Educação, mas esta deixou todos os esclarecimentos sobre a avaliação dos professores a cargo dos seus dois secretários de estado, que se apresentaram visivelmente irritados. Jorge Pedreira afirmou que "a oposição está preocupada com os coitadinhos que não cumprem a lei" e disse que quem não entregar objectivos não pode ser avaliado. Veja os vídeos da intervenção de Ana Drago.  

"Sem fixação de objectivos individuais não há avaliação, não há progressão na carreira e o tempo de serviço não é contado para efeitos de concurso. Isto é absolutamente claro, não é controverso", afirmou o secretário de Estado Adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, numa audição no Parlamento, na sequência do agendamento potestativo do PSD.

Mas Jorge Pedreira não esclareceu, por exemplo, se é possível que os Conselhos Executivos definam os objectivos individuais dos professores que não os entregaram ou considerem que esses objectivos são os que constam no projecto educativo da escola, tal como têm alegado dezenas de conselhos executivos críticos da política deste ministério. Pedreira pronunciou-se apenas sobre os processos disciplinares, deixando a cargo dos Conselhos Executivos a decisão de os instaurar ou não.

"O que disse em relação à não entrega dos objectivos individuais pode acontecer com qualquer outra infracção que seja disciplinarmente punível. Pode acontecer que um comportamento seja disciplinarmente punido numa escola e noutra não. Isso recai no âmbito da relação hierárquica [entre presidente do Conselho Executivo e avaliado] e no juízo de oportunidade que está na esfera da autonomia das escolas", acrescentou Jorge Pedreira.

Ana Drago, do Bloco de Esquerda, acusou o Governo de dar respostas "absolutamente irresponsáveis" em relação a este tema, sublinhado que "as orientações da Direcção-Geral de Recursos Humanos da Educação são contraditórias com o que diz o Ministério". E questionou igualmente a ministra sobre as "96 condutas de avaliação", da empresa People Performance Consulting, de Jorge Fatal, um imenso emaranhado burocrático e sem sentido que está a ser aplicado em muitas escolas, e que "não pode ser publicado em lado nenhum" devido a "supostos direitos de autor". O governo não respondeu à questão, e preferiu atacar a oposição e os professores:

"A oposição está preocupada com os que não cumprem. Com o que vai acontecer aos coitadinhos que não cumprem a lei", ironizou o secretário de Estado Adjunto e da Educação, acusando a oposição de "irresponsabilidade terrível" ao "induzir" os professores de que as consequências não estão previstas na lei.

Na única vez em que se debruçou sobre a avaliação de desempenho, Maria de Lurdes Rodrigues referiu que, apesar de "todas as dificuldades, enorme resistência e incompreensão", o processo está a decorrer "com grande normalidade".

À margem desta audição, a Comissão aprovou ainda um requerimento do Bloco de Esquerda a pedir a vinda do Ministro do Ensino Superior (Mariano Gago), ao parlamento, para discutir a situação social dos estudantes do ensino superior.


 

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Últimas Internacional
Últimas Sociedade
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Boletim Económico
Participe
Dois anos de Esquerda.Net
Deveria haver um bom motor de busca
[Continuamos a publicar os depoimentos dos leitores]
Visito o Esquerda.net 1 a 2 vezes por semana. Leio sobretudo notícias pouco ou nada cobertas pela imprensa corrente, artigos de opinião de alguns nomes que me interessam mais, às vezes os Sons da terra e podcasts sobre eventos do BE ou entrevistas, dependendo do tema.
A minha proposta é para todos os sites do BE: deveria haver um bom motor de busca (o do próprio software é muito débil e induz em erro) que permita pesquisas simples ou mais avançadas (booleanas, palavras adjacentes, por exemplo). O Copernic é um bom motor, freeware e creio que poderá ser usado como add-on neste software. É preciso testar e ver o resultado. À medida que crescer o fundo de notícias, precisamos cada vez mais de explorar a totalidade, retrospectivamente e, idealmente, independentemente do tipo de ficheiro que as suporte (texto, imagem, som). Seria um bom recurso de formação e difusão.

Paula Sequeiros, BE Porto



Educação em Debate
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.