Pete Seeger leva-nos adiante criar PDF versão para impressão
14-Mai-2009

Amy GoodmanFoi uma fabulosa festa de jardim. Dezoito mil pessoas juntas em Madison Square Garden num Domingo à noite para celebrar os primeiros 90 anos de vida de Pete Seeger.

O lendário cantor de música popular é a história viva do Sec. XX do combate pelos direitos dos trabalhadores, pelos direitos civis, pelo ambiente e pela paz. Poderosas e apaixonadas actuações e tributos soaram do palco, destacando a marca deste homem que perdura na nossa sociedade.

Bruce Springsteen procedeu à sua abertura com um tributo a Pete dizendo: "Quando eu e o Pete viajámos para Whashington para o discurso de tomada de posse do Presidente Obama, contou-me toda a história de ‘We Shall Overcome,'como passou de uma música do movimento dos direitos dos trabalhadores com a inspiração do Pete, sendo posteriormente adoptada pelo movimento dos direitos civis. Nesse dia, enquanto cantávamos ‘This Land Is Your Land'olhei para o Pete. O primeiro Presidente negro dos Estados Unidos da América estava sentado ao seu lado direito, pensei no distante caminho que o Pete percorreu... Ele estava tão feliz nesse dia. E foi como, Pete, sobreviveste aos filhos da mãe."

Springsteen recordou o único pedido do Pete para a tomada de posse: "Bom, sei que quero cantar tudo [de ‘This Land Is Your Land']. Mas sabes, quero cantar todas aquelas que o Woody [Guthrie] escreveu, particularmente, as duas que ficam de fora... sobre propriedade privada e o apoio social. Era o que o Pete tinha feito toda a sua vida: Ele canta todos os versos, especialmente aqueles que nós gostaríamos deixar de fora da nossa história enquanto povo."

Os versos censurados, para registo:

"Nos largos da cidade, na penumbra do campanário.
No apoio social, vi a minha gente.
Como eles ali estavam com fome, fiquei ali assobiando,
Esta terra foi feita para ti e para mim.
Um grande muro tentou parar-me.
Um enorme sinal dizia propriedade privada,
Mas no outro lado não dizia nada.
Esse lado foi feito para ti e para mim."

O inabalável compromisso de Seeger para com a justiça social atirou-o para a HUAC - Comissão de Actividades Antiamericanas em 1955. Ele relatou à HUAC, "Ofende-me profundamente ser notificado para estar perante esta comissão pelo facto de, de alguma forma, as minhas opiniões divergirem das vossas, e que isso signifique que eu possa ser menos Americano que qualquer outra pessoa. "Seeger foi colocado na lista negra e não apareceu na televisão durante cerca de 15 anos até que ele cantou em "The Smothers Brothers Comedy Hour."

Seeger disse-me: "Os Smothers Brothers eram um grande sucesso na CBS. E...na Primavera de ‘67, a CBS pergunta-lhes, ‘Que podemos fazer para vos fazer feliz? E eles respondem, ‘Deixem-nos ter o Seeger no programa.' E a CBS responde ‘Bom, iremos pensar nisso.' Finalmente, em Outubro eles dizem ‘Ok, podem tê-lo no programa. E eu cantei esta musica ‘Waist deep in the Big Muddy, the big fool says to push on.'... Em Nova Iorque, eles cortaram a canção. Os Smothers Brothers levaram o caso para a imprensa escrita e revelaram, ‘a CBS censurou a melhor musica de Seeger.'...

Finalmente, no final de Janeiro de '68, a CBS acede, ‘OK, OK, ele pode cantar a canção.'"

A canção é sobre um capitão do Exército que se afogou quando ordenava às suas tropas que entrassem cada vez mais num rio - uma óbvia metáfora do envolvimento dos EUA no Vietname.

Em 1949, Pete Seeger e o actor e cantor de ópera negro Paul Robeson deram um concerto em Peekskill, uma localidade com um activo Ku Klux Klan. Uma multidão de plantão apedrejou o público e centenas de pessoas ficaram feridas. Pete levou pedras dessa agressão e colocou-as na lareira da sua casa como se ali o protegessem das chamas.

Grato ao Peter pela sua vida está o rio Hudson, referido como um dos rios mais poluídos do mundo. Em 1966, o Pete fundou a organização ambiental Hudson River Sloop Clearwater, que utiliza maravilhosos barcos de madeira e uma festa anual para educar e envolver as pessoas na necessidade de limpar o Hudson e proteger o ambiente. Existe um movimento para nomear o Pete Seeger para o Prémio Nobel da Paz.

No Madison Square Garden, o Pete foi o centro do palco, tocando o seu banjo. A sua voz esvai-se agora após 70 anos a cantar a verdade ao poder. Ele trauteou as palavras das canções, mas o que saíram foram as vozes de 18.000 pessoas cantando. Este é o legado de Pete. Isto é o que vamos levar adiante.

Amy Goodman

Publicado a 5 de Maio de 2009

Denis Moynihan contribuiu na pesquisa para esta coluna

Tradução de Cláudia Belchior para o esquerda.net

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.