"A maior votação da história do Bloco" criar PDF versão para impressão
07-Jun-2009
Louçã, rodeado de Fernando Nobre, Miguel Portas Marisa Matias e Rui Tavares. Foto de Paulete MatosNo final na noite eleitoral, Francisco Louçã agradeceu aos eleitores que deram ao Bloco a maior votação da sua história. O líder do Bloco desvalorizou ainda a vitória do PSD, recordando que "com 32%, está muito perto da votação da clamorosa derrota de Pedro Santana Lopes".Minutos depois, confirmou-se a eleição de Rui Tavares, o 3º deputado europeu do Bloco, que passou a ser a 3ª força política do país.


Destacando que o Bloco de Esquerda ficou em 1º lugar em muitas freguesias e mesas de voto, Louçã atribuiu o extraordinário resultado à força de se opor às políticas antipopulares do governo de José Sócrates. "Não foi o cabeça-de-lista do PS quem foi derrotado, foi José Sócrates e a sua maioria absoluta que foram castigados e derrotados nestas eleições.

Para o deputado bloquista, o que esteve em causa nesta campanha - "e ainda bem" - foram as políticas anti-sociais do governo, e por isso o Bloco vai afixar por todo o país uma cartaz em que coloca como primeira prioridade resolver o problema dos 200 mil desempregados que não têm direito a subsídio de desemprego.

E definiu outras prioridades do Bloco: aumentar o consumo das famílias mais pobres, aumentar as pensões, corrigindo as políticas do governo que querem aumentar o tempo de trabalho e diminuir o valor das pensões de reforma.

E garantiu que o Bloco vai se apresentar como uma alternativa comprometida com a luta popular e apresentar uma política socialista, como parte da "esquerda grande" de que o Bloco quer fazer parte. O Bloco, disse Louçã, está "pronto para assumir as suas responsabilidades".

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.