Sondagem de opinião arrasa Cavaco criar PDF versão para impressão
19-Out-2009
A acção de Aníbal Cavaco Silva não parece estar a agradar os portuguesesPela primeira vez em muitos anos, a actuação de um Presidente da República é avaliada negativamente pelos portugueses. Numa sondagem sobre a actuação de Aníbal Cavaco Silva no último mês, 42,4% dos portugueses acha que o Presidente tem agido mal. O caso das supostas “escutas” parece ter contribuído para esta opinião negativa.


Cavaco conseguiu uma nota negativa numa sondagem recente da Aximage. O desenlace do caso das escutas, no mês seguinte àquele em que decidiu vir a público falar sobre o caso, à hora dos telejornais, parece ter contribuído para isso. Cavaco falou sobre o caso em 29 de Setembro.

Em Outubro, em resposta à sondagem da Aximage para o Negócios e o "Correio da Manhã", 42,4% dos portugueses entendeu que o Presidente tem actuado mal, quando questionados sobre como Cavaco Silva tem actuado nos últimos 30 dias.

Apenas 35,5% do universo de respostas considera que o Presidente esteve bem, contra ainda 15,9% que diz assim-assim. Esta avaliação é ainda mais relevante quando se pediu aos portugueses que dessem uma nota de 0 a 20 de avaliação da actuação de Cavaco Silva em Outubro. O presidente recebeu um chumbo: 9,6. Nunca Cavaco Silva tinha descido do bom (14,5 foi a sua nota mais baixa, em Outubro de há um ano).

Ficha técnica da sondagem


Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.

Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 600 entrevistas efectivas: 269 a homens e 331 a mulheres; 152 no interior, 232 no litoral norte e 216 no litoral centro sul; 139 em aldeias, 212 em vilas e 249 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.

Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido entre os dias 12 e 16 de Outubro de 2009, com uma taxa de resposta de 78,6%.

Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 600 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,0%).

Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

{easycomments}

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.