Oito acusados de maus tratos no Colégio Militar criar PDF versão para impressão
20-Out-2009
Maus tratos no Colégio Militar vão a julgamentoOito antigos alunos do Colégio Militar foram acusados pelo Ministério Público por seis crimes de maus tratos. O despacho do DIAP diz que eram "estudantes do último ano do Colégio Militar, graduados e/ou comandantes de companhia ou secção". Apesar da insistência do Bloco de Esquerda, o governo ainda não divulgou o inquérito que tem pronto há um mês sobre o assunto.

 

O despacho final do inquérito, da responsabilidade do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, "faz a distinção entre os castigos com fins educativos inseridos no poder-dever de educação e correcção atribuído aos graduados e as situações de crime de maus tratos". "Garantidamente estes arguidos são ex-alunos do Colégio", disse à Lusa o coronel João Caetano, subdirector do Colégio Militar.

O crime de maus tratos tem uma moldura penal de pena de prisão de um a cinco anos, se pena mais grave não lhe couber por força de outra disposição legal, segundo o Código Penal.

A acusação do Ministério Público surge no dia seguinte ao requerimento do Bloco de Esquerda para que fosse publicado o resultado do inquérito que os ministérios da Defesa e da Educação concluíram em Setembro acerca das denúncias de violência e maus tratos na instituição.

“Há alegações gravíssimas no que toca ao que se passa intramuros no Colégio Militar, há queixas de famílias e de alunos acerca de violentas agressões físicas, tudo isso veio a público, o ministério abriu um inquérito, esse relatório preliminar do inquérito estaria concluído, tê-lo-iam apresentado à tutela e morreu, não se sabe mais nada”, afirmou o deputado Fernando Rosas.

 


Leia também:

Bloco quer investigação das agressões a alunos no Colégio Militar


{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.