Louçã: Modelo de avaliação deve ser suspenso criar PDF versão para impressão
23-Out-2009
A saída de Maria de Lurdes Rodrigues deve dar lugar ao fim do modelo de avaliação, defende o Bloco.Após a reunião entre dirigentes do Bloco de Esquerda e da FNE, o Bloco voltou a defender a suspensão do modelo de avaliação dos professores. "Se o Governo não o quiser fazer, deve ser o Parlamento a fazê-lo e nós estamos disponíveis e mobilizados para isso", disse Francisco Louçã.


"Neste momento há um desafio forte colocado ao PS, que é saber se continua com a via do machado de guerra ou se, pelo contrário, aceita uma posição de sensatez e equilíbrio neste contexto", disse o coordenador bloquista aos jornalistas.

Louçã defendeu ainda a revisão do Estatuto da Carreira Docente que em conjunto com o contestado modelo de avaliação são "duas áreas que imediatamente é possível corrigir".

A posição do Bloco veio ao encontro da manifestada pelo secretário-geral da Federação Nacional dos Sindicatos da Educação, que sublinhou a importância de "acabar com a divisão dos professores em duas categorias e substituir a avaliação de desempenho por uma outra que valorize o que é mais importante no trabalho do professor que é a sua relação pedagógica com os alunos".

João Dias da Silva alertou também para a "sobrecarga horária dos professores", alegando que há uma "falta de critérios que está a fazer com estes ultrapassem largamente dentro das escolas aquilo que é o tempo de trabalho que deviam desenvolver" e exigindo que seja feita a "contabilização do tempo de trabalho". "Se houver realização de trabalho extraordinário que seja remunerado como tal", concluiu o sindicalista da FNE.


{easycomments}

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.