Uruguai: Esquerda em vantagem para a 2ª volta criar PDF versão para impressão
26-Out-2009
Pepe Mugica disputará a segunda volta com o candidato do Partido NacionalAs presidenciais uruguaias vão ter segunda volta, com o candidato da Frente Amplio a ficar próximo dos 50% dos votos. Os uruguaios decidiram também não anular a lei que impede os julgamentos dos crimes da ditadura militar.

 

Pepe Mugica, antigo guerrilheiro dos Tupamaros e dirigente da Frente Amplio, terá de disputar a segunda volta das presidenciais com Luis Lacalle, do Partido Nacional, que terá o apoio do terceiro candidato, apoiado pelo Partido Colorado.

Com 93% dos votos contados, Mugica obteve 47%, enquanto o candidato do Partido Nacional obteve 30% e o do Colorado 17,5%. A segunda volta promete por isso ser muito disputada. "Sou um homem de luta e nunca ninguém me ofereceu nada. Faltam 30 dias de luta", declarou Pepe Mugica no comentário aos resultados.

A par das presidenciais, os uruguaios votaram também em referendo sobre a anulação a lei da Caducidade que desde 1986 impede os julgamentos dos crimes da ditadura militar. Mas a maioria (52%, segundo as últimas projecções) decidiu manter a lei, apesar dela ter sido considerada inconstitucional pelos tribunais ainda há poucos dias.

Noutro referendo, também foi chumbada a intenção de permitir o voto por correspondência dos emigrantes uruguaios espalhados pelo mundo.

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.