Afeganistão: Gestão Obama sob forte pressão criar PDF versão para impressão
27-Out-2009
Afeganistão: Gestão Obama sob forte pressão Foto de The U.S. Army / FlickrCom a morte de mais 8 soldados norte-americanos na mais recente série de atentados à bomba, Outubro torna-se o mês com maior número de baixas para os Estados Unidos desde o início da guerra no Afeganistão. No momento em que Obama deve decidir sobre o reforço das tropas no país a sua administração enfrentou ainda o primeiro pedido de demissão de um alto funcionário em protesto contra a guerra.

Veterano da Guerra do Iraque, o capitão Matthew Hoh renunciou ao cargo como o civil americano com maior grau na província de Zabul, deixando uma série de criticas que provocaram grande incómodo na administração Obama. Na sua carta de demissão, Hoh afirma que não acredita que a guerra contra os insurgentes pode ter sucesso, e que a sua renúncia não está relacionada com a condução actual da guerra, mas sim com as suas motivações e finalidades.

As tropas alemãs são um bom exemplo do tipo de impasse que vivem as forças da NATO. O 3ª maior contingente mobilizado pela organização enfrenta um endurecer dos confrontos na região norte de Kunduz e é confrontado com a natureza das suas operações no país. Afirma-se que se as tropas alemãs passarem a assumir uma postura mais ofensiva o Governo alemão passaria a enfrentar forte contestação pública.

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.