Imigrantes fizeram História nos EUA criar PDF versão para impressão
22-Dez-2006
imigranteseua02O 1º de Maio não é o dia do trabalhador nos Estados Unidos. No 1º de Maio de 2006, porém, as principais cidades americanas encheram-se de manifestantes trabalhadores. Eram os imigrantes em luta contra uma lei, aprovada na Câmara dos Representantes, que criminalizava (como crime federal) todos os imigrantes indocumentados que residissem nos EUA, bem como todos os cidadãos norte-americanos que os ajudassem.
Ver vídeos

 

Cerca de 12 milhões de irregulares vivem nos EUA, a maioria mexicanos; deste total, 7,9 milhões trabalham e chegam a movimentar US$ 1,2 bilião por dia. As maiores manifestações foram em Los Angeles, com mais de 600 mil pessoas e Chicago, com 400 mil. Houve grandes manifestações em cerca de 200 cidades, e no México houve mobilizações de solidariedade. A jornada foi baptizada de "Dia Sem Imigrantes", porque muitos fizeram greve e boicotaram as lojas.

A mobilização acabou por surtir efeito. No dia 26 de Maio, o Senado aprovou uma reforma da lei de imigração que veio contrariar a aprovada na Câmara de Representantes. Os imigrantes residentes há mais de cinco anos no país puderam legalizar-se desde que pagassem uma multa de 2.500 dólares, demonstrassem que sabiam falar inglês, que tinham trabalho fixo e estavam em dia com os impostos. Os que tivessem menos de cinco anos nos EUA teriam de voltar ao país de origem para de lá tentar obter o visto. Em contrapartida, houve um reforço do policiamento na fronteira e a ampliação dos centros de detenção de imigrantes indocumentados. Calcula-se que estas mudanças poderão levar à legalização de cerca de 8 milhões de imigrantes.

Vídeos

 
 

 


 

 

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.