Pinochet para o Inferno criar PDF versão para impressão
22-Dez-2006
funeralpinochetlusawebFrancisco Prats cuspiu no caixão que levava o corpo de Pinochet no Salão de Honra da Escola Militar durante o velório do ex-ditador. Foi despedido do seu emprego. Francisco é neto do ex-chefe do exército, durante o Governo de Salvador Allende, Carlos Prats, assassinado com a mulher em Buenos Aires (1974). No Chile é ainda perigoso dizer mal de Pinochet.
Augusto Pinochet Ugarte morreu a 10 de Dezembro aos 91 anos após falha cardíaca múltipla, foi investigado pela Justiça inúmeros crimes, entre os quais, a participação no assassinato do General Prats.

pinochet_no_infernoEm 1973, Pinochet é nomeado comandante chefe do Exército chileno e declara fidelidade ao presidente eleito Allende. Apenas 18 dias depois, Pinochet chefia o sangrento golpe de Estado de 11 de Setembro de 1973, com apoio do governo dos Estados Unidos da América. Durante o bombardeamento do palácio presidencial, o presidente Allende morre.

Pinochet governou o país mais de 17 anos, nesse período, a repressão foi muito grande: dezenas de milhar de pessoas foram presas e torturadas, mais de 3000 foram sumariamente assassinadas.

Do ponto de vista económico, o regime militar chileno comandado por Pinochet permitiu o livre ingresso de capital estrangeiro e a entrega das riquezas do Chile ao sector privado. Este esforço de apoio ao "mercado livre" e à desregulamentação da economia teve como grande impulsionador um grupo de economistas da Universidade de Chicago, que tinham como grande mentor o famoso economista norte-americano Milton Friedman, os chamados ‘Chicago Boys'.

A intervenção neoliberal foi desastrosa. Em 1973, no ano em que Pinochet assumiu o governo, o desemprego no Chile era de 4,3%. Em 1983, depois de 10 anos de 'livre' mercado, o desemprego atingiu 22%. O salário mínimo foi extinto. Os sindicatos foram proibidos e as negociações colectivas eliminadas.

Pinochet organizou plebiscitos fraudulentos em 1978 e 1980 para manter-se no cargo. Em 1981, foi elaborada uma nova Constituição onde se dava mais oito anos de poder a Pinochet.

A partir de 1988, uma onda de protestos populares contra o regime varreu o Chile. O regime viu-se obrigado a fazer uma evolução negociada, depois da derrota de Pinochet no referendo de 1988.

Em 1989 foram realizadas as primeiras eleições desde do golpe de Estado. Pinochet entregou a presidência ao democrata-cristão Patricio Aylwin, o vencedor das eleições, em 11 de Março de 1990. O ditador conseguiu manter-se como o mais alto responsável pelas Forças Armadas, até Março de 1998, altura em que passou a ocupar o cargo, por ele criado, de senador vitalício no Congresso chileno, às quais renunciou em virtude dos problemas de saúde e das diversas acusações de violações dos direitos humanos.

Foram-lhe levantados mais de 300 queixas e processos de violações de direitos do homem e de corrupção, Pinochet acumulou uma enorme fortuna (fala-se em mais de 200 milhões de dólares) durante o seu governo .

Para fugir, aos processos, o ditador apresentou um atestado de debilidade mental.

A 3 de Dezembro de 2006 sofre um ataque cardíaco e, aos 91 anos, falece a 10 de Dezembro às 14h15 devido a um enfarte do miocárdio e um edema pulmonar agudo no Hospital Militar. O ditador teve direito a honras militares. No entanto, o governo chileno, chefiado pela socialista Michelle Bachelet (que foi presa, torturada e exilada durante a ditadura de Pinochet) não lhe deu honras de chefe de Estado nem decretou luto oficial.

O escritor mexicano Carlos Fuentes disse sobre a sua morte:"É um dia mau para o diabo, Pinochet alcançou, depois de sua morte, a presidência do inferno, tirando-lhe o lugar", afirmou o escritor.

Vídeos

Noticiários de TV sobre a morte de Pinochet

 
 
Artigo seguinte >
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.