Jogos de Cintura criar PDF versão para impressão
29-Out-2009

João Ricardo VasconcelosO novo cenário de maioria relativa cria todo uma série de novas responsabilidades no jogo político. O partido no poder terá de partir para a negociação e a oposição, por seu turno, também não se pode dar ao luxo de tudo negar. Será uma legislatura de interessantes jogos de cintura. É bom que cada força política pratique bem estes domínios porque os passos em falso sairão caros.

Sócrates tenta agora apresentar-se com uma nova face, apostando tudo na eventual falta de memória dos portugueses. Com um passo de mágica, quatro anos e meio de governação austera deram lugar a uma maior sensibilidade aos problemas sociais, a uma maior abertura ao diálogo e a todo um lado humano e simpático que até agora tinha sido escrupulosamente escondido dos portugueses. Que marotice...

Mas se todos sabemos que considerar este governo como "novo" é no mínimo irónico, não é menos verdade que no início de uma nova legislatura, saída de uma série de rondas eleitorais, a maioria do eleitorado exige alguma estabilidade governativa. E dificilmente encarará com bons olhos uma oposição que não conceda, seja em que moldes for, algum espaço a quem acabou de assumir funções.

Como é evidente, o governo manterá a arma da vitimização sempre à vista. No fundo, a estratégia do "Não me toques senão eu caio" e do "deixem-nos trabalhar". E estranho seria se assim não acontecesse. À boa oposição competirá demonstrar que não basta ao governo ter a postura superficial do diálogo e imediatamente a seguir partir para a vitimização. Competirá demonstrar que está pronta para qualquer diálogo e discussão da mesma maneira que está pronta a desmascarar falsas posturas e a chumbar más políticas.

Será uma legislatura recheada de jogos de cintura e outras habilidades políticas. Mais do que atacar abertamente, cada força política terá de ser inteligente e demonstrar as falhas e incongruências dos seus adversários. Um cenário que terá o seu quê de espectáculo emocionante. Mas que possui um pequeno pormenor que importa não esquecer: joga-se o futuro do país.

João Ricardo Vasconcelos, Politólogo, gestor de projectos e autor do blogue Activismo de Sofá

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2021 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.