Gripe das Aves criar PDF versão para impressão
28-Dez-2006
avesO início de 2006 ficou marcado pela chegada da Gripe das Aves à Europa. No primeiro dia do ano morreram três crianças na Turquia infectadas com o vírus H5N1. Uma semana depois, foram descobertas mais 5 crianças infectadas, aumentando para 15 o número de pessoas atingidas pelo vírus neste país. Apenas passados quatro dias, os cientistas chegaram à conclusão que o vírus que vitimou as crianças turcas tinha sofrido uma mutação, tornando-se mais perigoso para o ser humano.

Até meados de 2006 sucederam-se, a um ritmo alucinante, as notícias de contaminação pelo vírus H5N1. No dia 8 de Fevereiro, o mundo ficou a saber que o vírus acabara de chegar ao continente africano, através da morte de 40 mil aves na Nigéria. Três dias depois, é encontrado um cisne morto em Itália, igualmente infectado pelo vírus, cuja presença terá sido detectada no mesmo dia na Grécia. Ainda em Fevereiro, um pato selvagem morreu com gripe das aves em França e o vírus foi detectado na Índia.

No dia 1 de Março, na Alemanha, morreu um gato que se descobriu estar infectado pelo vírus. Foi o terceiro caso a nível mundial em que foi identificada a presença de H5N1 em mamíferos (excluindo os seres humanos infectados). A 18 de Março, uma mulher nigeriana de 32 anos morre devido à Gripe das aves, sendo o primeiro caso conhecido de morte de um ser humano em África por contaminação com o H5N1.

No final do mês de Março, em Portugal, foi detectada a presença de vários vírus (H1, H3, H6, H7, H9) em 12 patos e uma gaivota. No entanto, nenhum deles era o H5N1

O ano não terminaria sem a notícia da chegada do vírus ao Reino Unido (um cisne morto e infectado) e a Espanha (a 7 de Julho foi encontrado um Mergulhão morto e contaminado pelo vírus).

A gripe das aves foi pela primeira vez identificada em Itália no início do séc.XX. A doença é causada por uma variedade extremamente perigosa do vírus influenza, responsável pela gripe comum. Em 1997, na China, surgiu a primeira morte devido ao H5N1, e desde então o vírus infectou mais de 165 pessoas, 88 das quais morreram. Ainda não existe nenhum tipo de tratamento para esta doença, apenas vacinas para os seres humanos, que serão sempre insuficientes no caso de uma grande epidemia.

 
< Artigo anterior
Participe
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.