Os Correios como serviço público criar PDF versão para impressão
28-Mar-2010
Manifestação contra a privatização dos correios em França
A Holanda privatizou os seus correios, e o resultado foi mau para o serviço e para os trabalhadores. O Japão desistiu de os privatizar. Em França, na Bélgica e no Reino Unido, os governos manobram para privatizar, mas chocam-se com enorme resistência. Nos EUA, Obama acha a privatização "má ideia", mas prevê-se um corte de 50 mil empregos.

Começamos o dossier com o Japão, onde a privatização dos correios esteve no centro da recente viragem política que marcou a derrota do PDL. O novo governo do PDJ decidiu desistir da privatização, como explica o artigo Japão muda de curso e desiste de vender Serviços Postais.

Nos EUA, onde o serviço é público, Obama disse recentemente que a privatização é uma "má ideia". Mas está para breve o fim da entrega de correio ao sábado, o que significa um corte de 50 mil postos de trabalho. O artigo seguinte traça um panorama da Holanda - onde os correios foram privatizados há 20 anos -, França, Bélgica e Grã-Bretanha, onde as políticas privatizadoras enfrentam resistência.

Os dois artigos finais - França: um projecto contra os cidadãos e Grã-Bretanha: a guerra em casa - especificam a situação destes dois países.

 
< Artigo anterior
tit_todosdosiers.png
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.