Greve na Legrand Eléctrica criar PDF versão para impressão
20-Mai-2010
Concentração dos trabalhadores da Legrand. Foto de Victor FrancoTrabalhadores da empresa de Cascais fazem concentração contra a intenção da administração de vender os terrenos da fábrica, comprometendo a manutenção dos actuais 450 postos de trabalho. .

Os trabalhadores da Legrand Eléctrica estão em greve esta quinta-feira contra a intenção da administração de vender os terrenos da fábrica, comprometendo a manutenção dos actuais 450 postos de trabalho. Os trabalhadores suspeitam que a administração quer vender os terrenos ao El Corte Inglês.

Em comunicado, o Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI) informa que a administração da Legrand "tem vindo a pressionar a Câmara Municipal de Cascais no sentido de alterar o Plano Director Municipal (PDM) de modo a que os terrenos da fábrica sejam classificados de urbanizáveis, com o intuito de realizar um negócio de especulação imobiliária na ordem dos 150 milhões de euros."

Ainda segundo o SIESI, "a administração da Legrand tem vindo a transferir equipamentos e produções para outras empresas e, em 2009, realizou um despedimento colectivo de 77 trabalhadores que substituiu por temporários. Recebeu, há três anos, 8 milhões de euros do estado português para manter 431 postos de trabalho permanentes, contrato que não cumpriu. Presentemente tem em curso uma onda de repressão que levou à instauração de mais de uma dezena de processos disciplinares, que incluem a nossa Delegada Sindical Paula Rodrigues, suspensa preventivamente".

A coordenadora concelhia do Bloco de Esquerda divulgou um comunicado de apoio à luta dos trabalhadores da Legrand, e uma delegação do partido, que incluiu a deputada Rita Calvário, esteve presente à concentração de protesto dos trabalhadores à porta da fábrica, esta quinta-feira.

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Blogosfera
Querido Hipermercado
(...) hoje fui visitar-te e aconteceu-me uma coisa que agora me faz escrever-te um postalinho. Já à saída, quando ia a pagar na caixa, perguntaram-me se não queria arredondar as contas para cima. Onde estavam X € e 73 cêntimos ficavam X+1 €. Estão perceber, não estão? "Porquê?" - perguntei eu. "Para ajudar a Madeira". (...)
Faz-nos um favor, acaba com isto, já te topámos, vai ser socialmente responsável à tua custa. Uns milhões a menos para ti é um quase nada para cada accionista e ainda tens uns descontos nos impostos.
Publicada por José M. Castro Caldas em Ladrões de bicicletas
Ver mais Blogosfera
Últimas Internacional
Últimas Política
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Boletim Económico
Participe
Dois anos de Esquerda.Net
Deveria haver um bom motor de busca
[Continuamos a publicar os depoimentos dos leitores]
Visito o Esquerda.net 1 a 2 vezes por semana. Leio sobretudo notícias pouco ou nada cobertas pela imprensa corrente, artigos de opinião de alguns nomes que me interessam mais, às vezes os Sons da terra e podcasts sobre eventos do BE ou entrevistas, dependendo do tema.
A minha proposta é para todos os sites do BE: deveria haver um bom motor de busca (o do próprio software é muito débil e induz em erro) que permita pesquisas simples ou mais avançadas (booleanas, palavras adjacentes, por exemplo). O Copernic é um bom motor, freeware e creio que poderá ser usado como add-on neste software. É preciso testar e ver o resultado. À medida que crescer o fundo de notícias, precisamos cada vez mais de explorar a totalidade, retrospectivamente e, idealmente, independentemente do tipo de ficheiro que as suporte (texto, imagem, som). Seria um bom recurso de formação e difusão.

Paula Sequeiros, BE Porto



Educação em Debate
© 2017 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.