Extrema direita polaca quer proibir aborto em caso de risco de vida para a mulher criar PDF versão para impressão
01-Fev-2007
manifestação pró-escolha na poloniaVários movimentos polacos em luta pela mudança da legislação restritiva sobre o aborto na Polónia, enviaram a todos os movimentos pelo SIM portugueses uma carta de solidariedade. Os movimentos progressistas na Polónia acreditam que a vitória do SIM em Portugal pode contribuir para inverter a situação no seu país. A Lei é igual à portuguesa mas a extrema-direita que faz parte da coligação no governo, quer alterar a Constituição para proibir o aborto mesmo nos casos em que a vida da mulher grávida possa estar em causa

 

 

Carta aberta de solidariedade com o movimento pelo SIM no referendo de 11 de Fevereiro

Em nome do movimento pró-escolha polaco, vimos manifestar o nosso total apoio à luta pelos direitos da mulher levado a cabo pelo movimento pelo SIM em Portugal.

 A situação das mulheres é infelizmente, parecida em Portugal e na Polónia. Nos dois países o aborto só em três  casos é autorizado. Na Polónia, esta lei restritiva é apresentada, de forma enganosa, como um compromisso.

A interdição do aborto é o desprezo pelas mulheres inscrito na lei. Para além da falta de respeito que esta interdição significa, ela provoca também o sofrimento inútil de centenas de milhar de mulheres, que são suficientemente determinadas, para abortar, apesar das interdições, e fazem-no sem ajuda médica, colocando-se fora da lei, no medo e no isolamento.

 

Em nenhuma parte o número real de abortos pôde ser reduzido pela sua interdição. Também na Polónia o aborto clandestino se desenvolve. Para além da violação forçada da lei, esta situação divide as mulheres entre uma minoria privilegiada que pode pagar um aborto profissional, mesmo ilegal, e uma maioria para quem, regra geral, é muito mais necessário, mas que não o pode pagar. A proibição do aborto significa também uma discriminação económica gritante. Cada vez encontramos mais nados-mortos nos contentores de lixo, cada vez há mais mulheres que morrem em consequência de aborto.

 

Neste momento, na Polónia, a extrema-direita que faz parte da coligação no governo, quer incluir na Constituição "a protecção da vida humana desde a concepção" o que significaria uma proibição absoluta do aborto, mesmo nos casos em que a vida da mulher grávida possa estar em causa

 

Esperamos que desta vez o refendo português conduza às mudanças necessárias. Felicitamo-vos por todos estes anos de luta incessante, por terem conseguido a realização deste referendo e desejamos de todo o coração a vitória das mulheres portuguesas.

 

Alguns subscritores:

 

Groupe polonais pro-choice 2006 - Association "Saving-Our-Selves S.O.S"

 

 Polish Federation for Woman and Family Planning

 

Polish Labour Party /

 

8 March Womens Union

 

Association Pro Femina)

 

Feminotheque Fundation

 

"Le Monde Diplomatique" polish edition editors

 

Ma Ma Fundation

 

Lodz 's informal group Gender

 

Joung socialists

 

 "Without Dogme" quarterly review editors

 

Scientific circle Gender from Warsaw University

 

 "Political Critics" review editors

 * Beata Baradziej (Programme Assistant Europe & CIS Mama Cash)    
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
tit_dossier.png
Portugal em 2009
Um eleitor exerce o seu direito de voto para a Junta de Freguesia de Ermelo, Mondim de Basto. PEDRO ROSARIO/LUSA
No ano que ficou  marcado pelas eleições, os péssimos resultados da economia, e os casos de corrupção, também foram temas com destaque em Portugal. Leia as notícias que ilustram o ano de 2009.

Ler Mais
dossier_mais.png
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Dois anos de Esquerda.Net
Deveria haver um bom motor de busca
[Continuamos a publicar os depoimentos dos leitores]
Visito o Esquerda.net 1 a 2 vezes por semana. Leio sobretudo notícias pouco ou nada cobertas pela imprensa corrente, artigos de opinião de alguns nomes que me interessam mais, às vezes os Sons da terra e podcasts sobre eventos do BE ou entrevistas, dependendo do tema.
A minha proposta é para todos os sites do BE: deveria haver um bom motor de busca (o do próprio software é muito débil e induz em erro) que permita pesquisas simples ou mais avançadas (booleanas, palavras adjacentes, por exemplo). O Copernic é um bom motor, freeware e creio que poderá ser usado como add-on neste software. É preciso testar e ver o resultado. À medida que crescer o fundo de notícias, precisamos cada vez mais de explorar a totalidade, retrospectivamente e, idealmente, independentemente do tipo de ficheiro que as suporte (texto, imagem, som). Seria um bom recurso de formação e difusão.

Paula Sequeiros, BE Porto



Educação em Debate
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.