Aborto na Europa: as trapaças do NÃO criar PDF versão para impressão
08-Fev-2007

evolução do número de abortos naos países europeusA Plataforma Não Obrigada bombardeou os portugueses com dados sobre um suposto aumento do número de abortos nos países que recorreram à despenalização. O estudo efectuado pela eurodeputada Elisa Ferreira põe a nu as mentiras do NÃO e a adulteração grosseira dos dados presentes nos relatórios internacionais. Ao contrário do que dizem os partidários do NÃO, não há qualquer relação entre o aumento do número de abortos e a alteração do quadro legal nos respectivos países. A verdade é que na maior parte dos países que despenalizaram, o número de abortos diminuiu.
Aceda aqui ao estudo em pdf e em ppt, também as mentiras do «Não»

Os números utilizados pela Plataforma Não Obrigada não comparam a situação antes e depois da despenalização do aborto, pois limitam-se a escolher o ano com menos abortos e o ano com mais abortos, ignorando alterações demográficas, fluxos migratórios e mudanças sociais, comportamentais e económicas.

Além disso, a campanha do NÃO recorre também à manipulação gráfica, desproporcionando pequenos aumentos, e esquece-se de referir mais de metade dos países europeus, em que houve uma real diminuição do número de abortos desde que este foi despenalizado.

Na maioria dos países europeus em que o aborto foi legalizado, estes números não têm tendência para aumentar a longo prazo, antes se confirma o contrário.

Aceda também ao artigo do último número do jornal esquerda

 
< Artigo anterior
tit_todosdosiers.png
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.