Actualidade internacional, Política e Globalização criar PDF versão para impressão
24-Ago-2007

china.jpgNo "Socialismo 2007" não podiam ficar de fora as questões internacionais: a criação do Bloco de Esquerda foi feita de mãos dadas com o movimento alter-global, na convicção de que "outro mundo é possível". O imperialismo é um dos maiores obstáculos à concretização desse projecto. Atrás de si sempre trouxe a opressão, a guerra, a tirania, enfim, a lei do mais forte. As diferentes formas e matizes que o imperialismo tem assumido são alvo da reflexão de Pedro Soares, na sessão "A evolução do conceito de Império". E porque há vida e política para lá dos ditames de Bush, Mário Murteira analisa a ascensão de uma nova potência, a China. Voltando ao outro lado do Atlântico, muitas são as vozes de esquerda que depositam esperança no modelo venezuelano enquanto outras tantas lhe realçam o carácter populista e autoritário. Francisco Furtado explana o "processo revolucionário venezuelano" nas suas conquistas e nas suas contradições.
A nível internacional, a democracia representativa é uma conquista mas também uma limitação: em Portugal, por exemplo, ela pode vir a ser diminuída com os círculos uninominais: em "Sistemas Eleitorais Comparados" André Freire explora o estado da democracia electiva. Finalmente, o encerramento do "Socialismo 2007" fica a cargo de Francisco Louçã e Gregor Gysi (do Partido da Esquerda na Alemanha), com a "Actualidade das Ideias Socialistas".

Textos de apoio:

On a Slow Boat to China, texto de Mário Murteira, retirado do seu site (em português)

O Fenómeno Chavista e o socialismo do século XXI, texto de Francisco Furtado

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
tit_todosdosiers.png
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.