10/8, aumentou a ameaça do terror criar PDF versão para impressão
11-Ago-2006

10/8, aumentou a ameaça do terror
Carlos SantosA Scotland Yard anunciou o desmantelamento de um atentado terrorista. Ainda bem que conseguiu. Fica a interrogação quando e onde será o próximo? E fica sobretudo o indicador de que o mundo está pior desde o 11 de Setembro, ao contrário do que afirma Bush. A guerra e o terror tornaram-se uma ameaça quotidiana.

Segundo a Scotland Yard os acusados de preparação dos atentados são ingleses de origem paquistanesa. Não sabemos se estão ligados à Al Qaeda como fazem crer as declarações de Washington. Informam-nos que são muçulmanos e estavam dispostos a fazerem-se explodir. Os defensores islâmicos do terror e do martírio têm cada vez mais adeptos. Forçoso é que nos interroguemos porquê.

Todos os dias o terror prolifera no Iraque e no Afeganistão. Dezenas e dezenas de pessoas morrem em cada atentado. Ainda ontem 35 pessoas morreram e 120 ficaram feridas num atentado terrorista na cidade de Nadjaf no Iraque. Do Iraque recebemos também as notícias de soldados americanos acusados de violações em vários processos. A barbárie instalou-se e gera podridão e crimes horrendos. Para Bush é a "democracia iraquiana".

Há 30 dias que Israel bombardeia o Líbano, há 30 dias que Bush e Blair paralisam as Nações Unidas, vetando o apelo ao cessar-fogo imediato e apoiando a continuação das operações do exército israelita que já mataram mais de 1100 libaneses, em grande parte crianças. O Hezbollah não será destruído, segundo considera o próprio governo israelita. Alguém duvida de que estes bombardeamentos só aumentaram a influência de massas do Hezbollah e a multiplicação de voluntários para o martírio?

A política de Bush é a guerra e essa política banaliza o terror e fomenta o terrorismo. Guantanamo é um exemplo não só dessa polícia, como das ameaças que transporta para a liberdade e para as nossas vidas.

O combate ao terrorismo exige mais de cada um de nós. É preciso que os povos humilhados vejam pessoas, movimentos, forças políticas que não calam os massacres, que lutam pela paz e que conseguem mobilizar mais e mais pessoas nesse combate.

 
Artigo seguinte >
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.