Injustiça Social criar PDF versão para impressão
23-Nov-2007
Este foi o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades, mas este é o país no qual devia ser comemorado o ano português da desigualdade, porque no próximo ano muitos portugueses de rendimentos fracos, vão continuar a sentir a desigualdade em relação a outros.
Opinião que nos foi enviada por Américo Lourenço

Determinado ex-vereador da câmara da capital aufere uma pretensa pensão de invalidez que em conjunto com o seu vencimento, ronda os 5 mil euros. Enquanto portador da minha deficiência, a minha pensão é apenas de 256 euros, mas como estou empregado e recebo um salário que não resolve, mas ajuda a minimizar as minhas dificuldades, corro o risco de ver a minha pensão reduzida para 89 euros, com a agravante de me ser pedido para repor cerca de 11mil euros.

Esta situação é apenas uma flagrante da desigualdade que certamente não existiria se as instituições fiscalizassem e corrigissem este tipo de absurdos.

Não é de admirar que neste país seja apregoada uma pretensa crise que serve apenas para que os salários não tenham um aumento digno e que torna maior o fosso entre ricos e pobres.

Não será com certeza com a inoperância das instituições na fiscalização de situações irregulares e na reposição da justiça social, que o nosso país se torna um país de igualdades, porque enquanto uns recebem somas astronómicas, outros há que o pouco que recebem, lhes pode vir a ser retirado.

Américo Lourenço
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
tit_otaemdebate.png
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Participe
Crise Financeira Mundial
Reforma de 186 euros, depois de trabalhar 35 anos
O nosso leitor Armando Soares, conta-nos a revolta da sua esposa: "com a mesma idade que eu (60 anos) começou a trabalhar antes dos 10 anos, a descontar aos 14, sempre trabalhou, sempre descontou, até que um dia tinha ela 50 anos, o patrão resolveu fechar a empresa (...) Terminou o desemprego próximo dos 55 anos, meteu reforma antecipada, ganha actualmente 186 euros, trabalhou uma vida 35 anos, qualquer rendimento é maior do que o ordenado dela (...)".
Publicamos ainda opiniões de Luís Peres e José Lopes.

Ler Mais
Educação em Debate
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.