O novo governo tem de assegurar que vai parar as rusgas e as deportações de imigrantes criar PDF versão para impressão
07-Nov-2008
Penso que esta eleição é histórica; é um grande momento estar aqui em Chicago, pois pela primeira vez temos um presidente que está contra todas as políticas que a administração Bush promoveu nos últimos oito anos. Penso que há esperança, não apenas para o movimento pelos direitos dos imigrantes, mas também para as pessoas que são contra a guerra e para todos os movimentos progressistas.

Por Rosi Carrasco


Haverá um espaço aberto para continuar a luta pelos imigrantes, contra a guerra e por muitas questões que afectam as nossas comunidades. Não quer dizer que com esta eleição tudo vá mudar como que por magia, quer dizer que temos a oportunidade de mudar as coisas na América.

No ano passado foi derrotada legislação para a imigração, por ser racista. Os principais alvos dos racistas são os imigrantes sem documentos. É histórico ter um presidente afro-americano. Vai tornar o racismo mais difícil. É isso que acho que devemos celebrar.

Temos de continuar a organizar as nossas comunidades porque este é o único caminho para podermos mudar alguma coisa aqui - sem luta não haverá mudança.

Também significa que as políticas de Bush estão a ser rejeitadas por muita gente neste país, mas também pelo mundo fora - a guerra no Iraque, invadir outros países, contra os direitos dos imigrantes. As políticas promovidas por este governo têm sido terríveis para os povos da América Latina. O governo tem estado empenhado em ajudar apenas os mais ricos.

Estou muito surpreendida por ver como a juventude está activa e a esperança de mudança que ela tem. Penso que este será um novo momento em que teremos a oportunidade de abrir novos espaços para as nossas questões. O movimento pelos direitos dos imigrantes ficou desmoralizado no ano passado, mas agora estamos prontos para começar a lutar novamente. Teremos um novo governo e uma nova direcção neste país.

O novo governo tem de nos assegurar que irá parar com as rusgas e as deportações. É uma exigência que todos apoiam. Precisamos de exigir uma reforma na imigração. Não é claro que tipo de reforma o governo estará disposto a oferecer, porque até agora os democratas não tiveram políticas muito claras a favor da imigração.

Temos de manter bem claro que a nossa luta é pelos direitos civis e humanos. Temos de ter maturidade suficiente para perceber que precisamos de trabalhar em conjunto com uma grande diversidade de pessoas, com diferentes pontos de vista.

Penso que precisamos de um movimento muito aberto e alargado que inclua todo aquele que acredita nos direitos civis e humanos.

Há trabalhadores que foram despedidos por causa de problemas com a documentação, não recebem bons salários porque não têm todos os documentos, os seus direitos não estão a ser respeitados por causa da situação em que se encontram. Por isso temos de continuar a organizar as pessoas nos seus locais de trabalho e nas suas comunidades. Se esquecermos essa parte, não teremos o tipo de movimento que poderá avançar com uma proposta forte e defender as pessoas. Todos concordam que precisamos de nos manifestar nas ruas.

No dia 1 de Maio temos de voltar à rua, mas também precisamos de organizar as pessoas nos seus locais de trabalho e nas suas comunidades para que fiquem a saber os seus direitos e se possam defender.

Esta eleição é um momento histórico e uma grande oportunidade para desafiar e mudar as políticas neste país. É uma grande oportunidade para nós nos organizarmos, mas é apenas uma oportunidade. Temos de trabalhar com afinco para organizar as nossas comunidades. De outro modo perderemos esta oportunidade.

Acho que as pessoas estão prontas para lutar - vejam o grande número de pessoas envolvidas no movimento anti-guerra, no movimento pelos direitos dos imigrantes, na questão da habitação, a favor do direito à saúde, de bons salários, dos direitos dos trabalhadores, de tantas coisas. Agora espero que possamos mudar estas coisas.

Estou realmente entusiasmada com esta eleição. Estou realmente entusiasmada por ter Obama como presidente. Espero que possamos celebrar este momento histórico. Isto irá mudar radicalmente as políticas, mas não irá acontecer por si só. Temos de ter pessoas a organizar-se e prontas para aproveitar esta nova abertura.


Rosi Carrasco é activista dos direitos dos imigrantes em Chicago e dedica-se à organização de actividades da Latino Organization of the Southwest.

Tradução de Júlia Garraio

{easycomments}

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
tit_todosdosiers.png
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.