Estas nacionalizações não são fantasma para os banqueiros criar PDF versão para impressão
18-Out-2008
Rui BorgesÉ importante frisar que as novas nacionalizações não são nenhum fantasma para os homens da alta finança. Em vez de expropriação sem compensações, o castigo para banqueiros e gestores incompetentes é terem que aceitar o estado como accionista a troco de gigantescas somas de dinheiro.

Governos de todos os quadrantes têm-se empenhado em encontrar a receita milagrosa para salvar a economia mundial. A mais recente foi inventada por Gordon Brown e consiste na nacionalização parcial do sector bancário e na concessão de garantias estatais sobre os empréstimos interbancários. A medida já foi adoptada em vários países europeus e também nos Estados Unidos.

É importante frisar que as novas nacionalizações não são nenhum fantasma para os homens da alta finança. Em vez de expropriação sem compensações, o castigo para banqueiros e gestores incompetentes é terem que aceitar o estado como accionista a troco de gigantescas somas de dinheiro.

Por cá o governo anunciou a criação de um aval aos empréstimos interbancários no valor de 20 mil milhões de euros, qualquer coisa como 11% do PIB nacional. Subitamente todo o dinheiro que não existia para investir na saúde, educação e serviços públicos apareceu milagrosamente para salvar os bancos.

Os ideólogos por sua vez tentam dar um toque de seriedade a todo o processo e são incansáveis a explicar-nos os méritos de dar mais dinheiro aos ricos. João César das Neves explica que estas nacionalizações não representam o socialismo mas sim o mais puro monetarismo. É apenas uma receita para resolver uma crise inevitável neste sistema lindo e louco que é o capitalismo. Se o leitor perder a sua casa ou o seu emprego fique contente por saber que está envolvido num processo de "destruição criativa" que é a "origem do progresso". Por outro lado José Manuel Fernandes recupera no Público de segunda-feira as ideias do "trickle-down economics" tão caras a Ronald Reagan e George W. Bush. Segundo esta teoria a melhor forma de melhorar a vida dos mais pobres é dar dinheiro aos ricos para que estes invistam e criem emprego. Assim na actual conjuntura só dando dinheiro aos banqueiros é possível criar o clima de confiança que permita às pessoas ter dinheiro para pagar os seus empréstimos

A crise económica tem causado enormes estragos na ideologia neoliberal, mas isso não significa que possamos dar o neoliberalismo como morto. Os nossos governantes tentarão a todos os momentos recuperar as velhas receitas para tentar repôr a normalidade económica. Ora como foi a aplicação destas receitas ao longo dos últimos trinta anos um dos principais causadores do actual pandemónio o resultado dificilmente será um sucesso. Por isso a derrota destas ideias é um passo absolutamente necessário para resolver a crise.

Rui Borges

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2020 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.