A primeira vitória dos estudantes do secundário criar PDF versão para impressão
18-Nov-2008
Rodrigo RiveraDepois de milhares de alunos protestarem durante semanas pelo país contra o novo regime de faltas, a Ministra da Educação decidiu recuar. Esta é sem dúvida a primeira vitória do movimento estudantil desde há muitos anos. Mas foi só a primeira de muitas lutas que aí vêm.  


Depois de milhares de alunos protestarem durante semanas pelo país contra o novo regime de faltas, a Ministra da Educação decidiu recuar. Maria de Lurdes Rodrigues assinou em pleno domingo um despacho, que entrou já em vigor esta segunda-feira, que afirma que a "prova de recuperação" no caso das faltas justificadas, tem um carácter de "diagnóstico", e que nunca poderá levar à reprovação do aluno em causa.

Apesar da linguagem pouco clara e inovadora que a Ministra usa no despacho, esta é sem dúvida a primeira vitória do movimento estudantil desde há muitos anos. Uma vitória contra o autismo e o autoritarismo do Ministério que vem mostrar a força que têm os estudantes quando estão descontentes. Há muito tempo que estamos fartos de ser tratados como imbecis, de ser cada vez mais pisados e ignorados na tomada de decisões nas escolas.

No entanto esta foi a primeira de muitas lutas que aí vêm. Agora provadas as capacidades de mobilização e de pressão deste movimento, os estudantes vão continuar a sair para a rua, porque o regime de faltas era uma simples questão de bom senso, agora há questões vitais para o bom funcionamento da escola:

1. Uma avaliação justa, digna duma escola pública de qualidade, diferente desta confusão que impuseram aos nossos professores é essencial para acabar com muitas das tensões existentes nas escolas.

2. É impensável que no século XXI, um Governo que se diz de esquerda continua a negar aos estudantes o seu direito à Educação Sexual. É inacreditável que Portugal continue no grupo dos países com mais gravidezes indesejadas da Europa!

3. É impossível os alunos sentirem-se bem numa escola onde não são ouvidos e tratados com palmadinhas no ombro, principalmente com um director-gestor a decidir sobre os destinos do espaço onde passam mais tempo do que com os seus pais.

4. Temos de mostrar ao país que a propaganda de qualidade de ensino com E-escolas e E-escolinhas, computadores e bandas largas, magalhães e companhia, não passa de fachada para vender em cimeiras ibero-americanas, quando continuamos a ter aulas com turmas sobrelotadas de 35 alunos.

Sábado, dia 22 de Novembro, vamos todos ao Encontro Nacional de Estudantes Activistas do Secundário em Lisboa!

Rodrigo Rivera

Estudante do 12º ano, Membro da Coordenadora Nacional de Jovens do Bloco de Esquerda.

{easycomments}

 
© 2019 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.