Condições para trabalhar criar PDF versão para impressão
18-Dez-2008
Num destes dias, entre a contestação na rua e nas escolas ao modelo de avaliação e a teimosia governamental, ainda foi possível ouvir a Ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, reconhecer que nunca houve tão grande exigência à profissão docente e ás escolas.
Opinião de José Lopes

Referindo-se, não ás exigências dos polémicos e burocráticos critérios de avaliação aos docentes, que estão a desestabilizar o ambiente de serenidade entre as comunidades escolares, mas a uma missão, que neste quadro de contestação, assume, como de enorme dificuldade, dadas as novas exigências aos professores e à escola de hoje.

Ou seja, ficou bem admitir, num tempo em que escasseiam estratégias da Ministra para motivar estes profissionais, que é dever e obrigação, dar-lhes condições para trabalhar.

Mas que expectativa séria pode haver nas promessas vindas de quem liderou um dos mais duros e indignos ataques á classe dos professores, humilhando-os e desautorizando-os, fragilizando a escola pública perante os novos desafios da sociedade, essa sim, cada vez mais exigente, à qual não se pode responder com facilitismo e sucesso artificial na escolaridade, que o próprio sistema de avaliação do desempenho dos professores fomenta.

José Lopes (Ovar)

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
tit_otaemdebate.png
tit_esquerda.png
Esquerda 40: Não tem que ser assim
Leia aqui o jornal "Esquerda"
Clique na imagem para aceder ao Esquerda 40 em pdf
Outros números do jornal Esquerda
Assinatura do Jornal Esquerda
Participe
Crise Financeira Mundial
Reforma de 186 euros, depois de trabalhar 35 anos
O nosso leitor Armando Soares, conta-nos a revolta da sua esposa: "com a mesma idade que eu (60 anos) começou a trabalhar antes dos 10 anos, a descontar aos 14, sempre trabalhou, sempre descontou, até que um dia tinha ela 50 anos, o patrão resolveu fechar a empresa (...) Terminou o desemprego próximo dos 55 anos, meteu reforma antecipada, ganha actualmente 186 euros, trabalhou uma vida 35 anos, qualquer rendimento é maior do que o ordenado dela (...)".
Publicamos ainda opiniões de Luís Peres e José Lopes.

Ler Mais
Educação em Debate
© 2021 Esquerda.Net
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.